PROJETO DE BASE MINERAL BENEFICIARÁ COMUNIDADES QUIXABA E TIMBAÚBA NO MUNICÍPIO DE FREI MARTINHO

 

As comunidades Quixaba e Timbaúba, localizadas na zona rural do município de Frei Martinho, por meio do projeto de desenvolvimento rural sustentável do Cariri, Seridó e Curimataú – PROCASE,  serão beneficiadas com o projeto intitulado: “UNIDADE DE PRODUÇÃO ARTESANAL DE MICA CLASSIFICADA DAS MULHERES DE TIMBAÚBA E QUIXABA DE FREI MARTINHO”  . Nesta Segunda-feira, 30 de Outubro de 2017, a comunidade recebeu a equipe do Procase e  membros da Diretoria da COOPERMINERAL que falaram  do projeto e de sua importância, não só para as comunidades como  para a região. O encontro reuniu Garimpeiros, mulheres das comunidades Timbaúba e Quixaba, contando também como a participação do Vice Prefeito do Município Tião Pinto e do Pesquisador e Técnico em Mineração, Antonio de Pádua Sobrinho.

A proposta é implantar uma unidade produtiva de mica classificada nas  comunidades de Timbaúba e Quixaba, com objetivo de potencializar a cadeia produtiva mineral, agregando valor à produção de mica e implementado  métodos de trabalho com estrutura adequada para o pleno desenvolvimento da atividade, que historicamente faz parte da cultura local, desenvolvendo  a economia da região, implantado novas oportunidades de negócios, com métodos de trabalho produtivo, competitivo e agregando valor ao mineral, visando principalmente as mulheres que farão a capacitação profissional e consequentemente da unidade produtiva de mica classificada.

O projeto será desenvolvido por meio da Cooperativa de mineradores do município a COOPERMINERAL, que conta com o apoio da  Secretaria de Estado dos Recursos Hídricos, Meio Ambiente,  da Ciência e Tecnologia (Seirhmact), por meio da Diretoria de Recursos Minerais e Hidrogeologia (DRMH) e da Prefeitura Municipal de Frei Martinho.

Segundo o presidente da COOPERMINERAL Expedito Fonsenca o objetivo do projeto é  desenvolver as potencialidades locais, respeitando suas tradições e vocações. “Estaremos  inserindo  conhecimentos através das capacitações profissionais, além de  gerar emprego e renda   nas comunidades de forma sustentável, melhorando as condições socioeconômicas das famílias dos garimpeiros.”   Disse

Relacionados