Meteorologista Picuiense prevê que os indicadores são bem representativo de chuva na região Nordeste.

O Picuiense Severino Ferreira do Patrocínio informa que são boas as perspectivas para o ano de 2018. Severino Ferreira do Patrocínio é meteorologista, Capitão aposentado da Força Aérea Brasileira, foi integrante do serviço de proteção ao Voo da Aeronáutica e exerceu a função de previsor do centro meteorológico do Aeroporto Internacional do Guararapes em Recife-PE, inclusive coordenou a implantação do centro meteorológico do Aeroporto Internacional  “Eduardo Gomes” em Manaus-AM.

De acordo com o Picuiense, o Oceano Pacífico Tropical aquece durante 25 a 30 anos, depois esfria em igual período. Parou de aquecer em 1998; a fase fria atual deverá permanecer até 2023 ou 2028 (fig. abaixo). Durante a fase fria, os eventos de La Ninã são mais intensos. Historicamente, esta condição é favorável à ocorrência de chuvas acima da média no Nordeste brasileiro e abaixo da média nas regiões Sul e Sudeste.

INDICADORES DE CHUVA PARA O NORDESTE BRASILEIRO: La Niña é o resfriamento das águas do Oceano Pacífico Tropical na costa do Peru e Equador. As imagens do site:enos.cptec.inpe.br, atualizadas periodicamente, estão mostrando a evolução do resfriamento do Oceano Pacífico Tropical, bom sinal! Quando ocorre o aquecimento do Oceano Atlântico, ao Sul da linha do equador, acima de 28 graus Célsius, ao largo da costa da região do Nordeste brasileiro, isso é um indicador muito representativo de chuva na região. Monitorar a variação da temperatura do mar através do site da Marinha do Brasil:https://www.mar.mil.br/dhn/chm/meteo/prev/tsm/tsm.htm

A principal condição indicativa de chuva no Nordeste é o aglomerado de nuvens formado pela convergência dos ventos alísios – A ZONA DE CONVERGÊNCIA INTERTROPICAL (ZCIT), que ao se deslocar do Hemisfério Norte, alcança o N e NE do Brasil. Consultar o site: https://www.redemet.aer.mil.br/ (REDEMET Comando da Aeronáutica):Produtos/Imagens de Satélite/Imagem de Satélite Realçada. Nota: Ampliar imagem (botão deslizante canto esquerdo superior) e acompanhar a aproximação do sistema de nuvens com trovoadas e chuvas fortes, que poderá ocorrer, aproximadamente, a partir da segunda quinzena do mês de dezembro.

fonte: Giro Curimataú

Relacionados